ºC, Braga
Braga

Max º Min º

Guimarães

Max º Min º

Rui Marques, diretor geral da ACB (FOTO: ACB)
Elsa Moura

Regional 09.06.2021 15H46

ACB estima perdas potenciais de receita na ordem dos 20% na restauração

Escrito por Elsa Moura
Empresários apreensivos depois da pandemia já ter provocado 400 milhões de euros de perdas acumuladas.

O facto de Braga não avançar para a nova fase de desconfinamento, em 14 de junho, está a preocupar os empresários, sobretudo do setor da restauração.


Depois de confirmada a notícia, esta quarta-feira de que Braga é um dos quatro concelhos que não avança para a nova fase que permitiria um alargamento do horário de funcionamento dos estabelecimentos, o diretor geral da Associação Comercial de Braga, Rui Marques, alertou para o impacto nos diferentes setores ao longo das próximas semanas.


Segundo o responsável, desde o início da pandemia, as perdas acumuladas em Braga ascendem a 400 milhões de euros, nos setores do comércio, turismo e restauração. Agora, com a restrição de duas horas e meia adicionais de funcionamento, a ACB estima “perdas potenciais de faturação da ordem dos 20% no setor da restauração”.


Não avançando para a nova fase de desconfinamento em 14 de junho, os estabelecimentos em Braga continuam obrigados a fechar portas às 22h30. Supermercados e centros comerciais encerram às 21h00 durante a semana e às 19h00 ao fim de semana.


O teletrabalho continua a ser obrigatório.

Deixa-nos uma mensagem